sexta-feira, 13 de outubro de 2017

Mulheres francesas

Amo livros! Uma das coisas que mais me idealiza e acalma se chama, livraria. O ambiente me encanta porque ali o mundo se encontra. Através dos livros podemos viajar, nos enriquecer culturalmente, aprender oficios, enfim, é um mundo infinito. Confesso, que tenho muitos livros, já doei outros vários, e alguns mantenho na minha coleção. Gosto de livros que me ajudam a viver a minha fé em Deus, culinária, voltados para o lar e estilo de vida. Grande parte do acervo que tenho hoje são de culinária e técnicas. No meu primeiro post, falei sobre o Livro Dona Benta, e umas das coisas que mais aprecio são os diversos lançamentos que temos todos os anos nesse segmento, temos ótimos autores e também livros traduzidos que são destaques em outros países.
Uma das minhas fontes de pesquisas são pratos originais de várias partes do mundo com ingredientes de fácil acesso, e que ensinam técnicas fáceis, que dono (a) de casa consegue fazer no seu dia a dia. 
Um autora que vou destacar, Mireille Guiliano, "Mulheres Francesas não engordam", ela conta sua trajetória ao viver nos Estados Unidos e quando voltou para a casa estava com dez quilos a mais. E nessa trajetória, ela nos relata que na França as pessoas se movimentam por prazer, apreciam a gastronomia em família, eles simplesmente não comem e sim alimentam, valorizam bons produtos na preparação dos pratos. Contribui  também com receitas e apresenta que é possível um estilo de vida saudável e prazeroso.

Essa semana fui a livraria e encontrei um livro só de receitas dentro da proposta da autora do primeiro lançamento: "As mulheres francesas não engordam - Livro de Receitas", ela sugestiona cardápios para café da manhã, almoço, jantar e nos brinda com sobremesas ao final. É uma delícia vê-la fazer uma releitura do creme mágico preparado por sua tia Madame Berthe Juncker, era o segredo para emagrecer aliado ao prazer da degustação.







"Mágico? Algo que combina sabor, facilidade e benefício para o bem estar."










segunda-feira, 9 de outubro de 2017

Biomassa de banana verde

Estou fazendo uma mudança de hábitos alimentares e a nutricionista pediu que essa semana fosse incluída no meu cardápio a biomassa de banana verde. Fiz várias pesquisas em sites e li que os benefícios são inúmeros, garante a saúde do intestino, reduz o colesterol, fortalece a imunidade, boa concentração de magnésio e vitaminas, porém, nesse post vou colocar a minha percepção nos quesitos gosto, sabor e preparação.
No quesito gosto, é claro que qualquer alimento adicionado a sua preparação irá agregar um teor ao prato, mas o sabor da comida, que ficou viscosa, não se perdeu com a inclusão da biomassa, pois, o processamento é feito com a fruta verde, sendo assim o resultado é uma massa sem gosto e sem cheiro. 
A biomassa pode ser incluída em diversos pratos, como sorvete por exemplo, no meu caso foi solicitada a troca do arroz no almoço e a inclusão na sopa ao final do dia, jantar.
O prato escolhido para adicionar a biomassa foi sopa de abóbora com couve, e nesse prato incluí duas colheres de sopa. 
Funcionamento do intestino normal, e o grande beneficio foi a saciedade mais prolongada. É super fácil fazer, um beneficio com um custo baixo, pois, é um fruto muito cultivado no Brasil, comprei banana orgânica por R$3,00 a dúzia, e a receita rendeu dois potinhos (foto). É importante que seja orgânica, além de valorizar o pequeno produtor, queremos o melhor do fruto e não os agrotóxicos. Além do mais, ir a feira é uma delícia. Então, vamos a receita.

Ingredientes e Modo de Fazer:

10 bananas nanicas (caturra)
Tire as bananas da penca, mas com cuidado para que o fruto dentro da casca na apareça. (Acertei com uma tesoura).




Lave-as e coloque água para ferver suficiente para cobrir as bananas.
Após levantar fervura, coloque as bananas na panela de pressão, tampe e ao iniciar a pressão, deixe por 8 minutos.
Desligue o fogo, e aguarde que o ar saia normalmente, esse processo é importante, não há necessidade de fazer com que a pressão saia rápido.
Retire as bananas ainda quente, e descasque com cuidado, e leve para o liquidificador ou processador de alimentos. Caso esfrie, o fruto pode farinhar, portanto, é importante que esse processo seja feito com a banana ainda quente.
Bata 5 bananas por vez, com cuidado para não queimar o liquidificar, adicione um pouco de água até q vire um creme. 
Coloque em potinhos, no congelador dura 4 (quatros) meses e na geladeira 3 (três) dias.





segunda-feira, 2 de outubro de 2017

Sopa de Tomate

Essa sopa de tomate faz muito sucesso lá em casa! Esse prato é apreciado em todo o mundo, mas em cada lugar tem uma peculiaridade de sabor e tempero. O prato pode ser acrescentado ovo como é feito em Portugal, na Itália temos a junção da abóbora, e na Índia, o tempero masala vai predominar.
Enfim, as variações desse belo prato depende do gosto e criatividade de cada um. 
Quando resolvi fazer esse prato, pensei que poderia ficar muito ácido, mas para a minha surpresa não ficou, e como amo temperos, dei esse toque essencial. O preparo é muito simples, e ao final pode ser servida com torradas ou "croutons" cubos pequenos de pães torrados.

Ingredientes

1Kg de tomate maduro picados e sem sementes.
2 col sopa de azeite
2 dentes de alho (picados)
1 cebola picada
1 1/2 col chá de açúcar.
300ml de água (quente)

Mistura de ervas

1 col chá de orégano
1 col cha manjeirção 
1 col chá de tomilho
1 col cha de alecrim
1 col cha de noz moscada (em pó ou ralada)
Pimenta do reino e sal à gosto

Modo de Fazer:

Refogue em fogo médio o azeite e a cebola até murchar, acrescente o alho.
Mexa por alguns segundos e acrescente a mistura de ervas. 
Logo após, adicione os tomates, sal e pimenta do reino à gosto, misture bem, para que o tempero incorpore nos tomates, acrescente o açúcar e a água.
Após levantar fervura, deixe por 20 minutos.
Se necessário, acerte o sal.
Retire a sopa do fogo, espere esfriar um pouco e bata no liquidificador. 



Dica: Caso queira uma sopa mais consistente, diminua a quantidade de água, lembrando que a cebola e o tomate soltam muita água.